Vai contratar empréstimo? Confira quanto você pagaria em cada banco
Imagem extraída do Google
SÃO PAULO – Cautelosos com o rumo adotado pela política monetária, os bancos, de maneira geral, não efetuaram grandes mudanças nas taxas de juros do empréstimo pessoal e do cheque especial. Em junho, no primeiro caso, houve leve aumento dos juros, para 9,53% ao mês, e no segundo caso, houve estabilidade, com a taxa ficando em 5,6% ao mês, conforme levantamento feito pela Fundação Procon de São Paulo e divulgado nesta quinta-feira (9). 
O comportamento dos juros das duas modalidades de crédito impactam diretamente o consumidor. E, ainda que as mudanças não tenham sido relevantes neste mês, o Procon alerta que ainda não é o melhor momento para contratar empréstimos pessoais. “A conjuntura continua desfavorável para os tomadores de empréstimo e o consumidor deve ficar atento, procurando analisar as alternativas de crédito, de modo a amenizar o impacto no seu orçamento”.
Se contratar o crédito for realmente inevitável, o consumidor deve fazer uma pesquisa entre as instituições bancárias, pois as taxas variam de banco para banco. Em junho, a taxa média do cheque especial passou de 9,47% ao mês para 9,53% ao mês, devido ao avanço da taxa cobrada pelo Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal.
O levantamento do Procon-SP foi realizado no dia 1º deste mês e envolveu Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Safra e Santander.
Comportamento por banco
Independente da alta na média mensal, é importante saber que as taxas variam de banco para banco, o que faz com que o gasto com juros seja muito diferente, de acordo com a instituição onde o consumidor contrata o crédito.
Para se ter uma ideia da diferença, a menor taxa cobrada para a modalidade cheque especial é de 8,27% ao mês – percentual cobrado pela Caixa Econômica Federal. Para a mesma modalidade, a taxa chega a 12,3% – taxa cobrada pelo Safra e a maior verificada pelo Procon neste mês.
Na tabela abaixo, é possível traduzir em valores quanto essa diferença representa. Para o cálculo, foi considerado que o cliente utilizou o limite de R$ 950 de sua conta-corrente pelo período de um mês:
Cheque especial por 1 mês*
Banco Taxa mensal
(média/junho)
Gasto total
Safra 12,30% R$ 1.066,85
Santander 9,99% R$ 1.044,91
HSBC 9,95% R$ 1.044,53
Itaú 8,99% R$ 1.035,41
Bradesco 8,85% R$ 1.034,08
Banco do Brasil 8,37% R$ 1.029,52
Caixa Econômica Federal 8,27% R$ 1.028,57
*Valor contratado: R$ 950. Utilização: 1 mês
Compilação: InfoMoney (os dados não levam em consideração outros encargos,
como IOF – Imposto sobre Operações Financeiras)
Já quando se toma um empréstimo pessoal, a menor taxa pode ser encontrada na Caixa Econômica Federal (4,95% ao mês). No Itaú é encontrada a maior taxa média para essa modalidade de crédito (6,41% a.m.). O cálculo a seguir mostra quanto custa emprestar R$ 1,5 mil para pagamento ao longo de 12 meses, assim como a variação do custo do dinheiro de banco para banco:
Empréstimo pessoal em 12 meses*
Banco Taxa mensal
(média/junho)
Gasto total
Itaú 6,41% R$ 2.195,51
Bradesco 6,10% R$ 2.158,77
Santander 5,99% R$ 2.145,81
Safra 5,40% R$ 2.076,93
Banco do Brasil  5,39%  R$ 2.075,77
HSBC 4,99%  R$ 2.029,71
Caixa Econômica Federal  4,95% R$ 2.025,13
*Valor contratado: R$ 1,5 mil. Pagamento durante 12 mesesCompilação: InfoMoney (os dados não levam em consideração outros encargos,
como IOF – Imposto sobre Operações Financeiras)
Fonte: Yahoo/finance
divisao

0 Comentário Publicar Comentário

Seja o primeiro a comentar.