Sarah reclama falta de patrocínio: "Quero continuar treinando aqui"

Em entrevista no Jornal do Piauí desta quinta-feira (30), a judoca Sarah Menezes confirmou que analisa propostas para treinar em outros estados, mas reafirmou seu interesse em continuar em Teresina. No entanto, a quarta colocada do ranking mundial se queixou da falta de patrocínio e estrutura.

                       Fotos: Thiago Amaral/Cidadeverde.com

“Pra ser sincera, eu não quero sair. Quero continuar treinando aqui. Gosto do meu treinador, da minha família por perto, dos meus companheiros de treino. Mas, se continuar assim…”, disse a judoca de 21 anos, titular da seleção brasileira e uma das principais apostas do Brasil para as duas próximas Olimpíadas.


Sarah Menezes confirmou ter recebido propostas do Flamengo e Fluminense (RJ). Ela já tinha sido sondada pelo São Caetano (SP) e outros clubes com melhor estrutura, que teriam interesse em receber a atleta. 

A judoca afirmou ter empresas que a ajudam com questões específicas, mas reclamou do poder público. “Está faltando incentivo da Prefeitura e do Estado. Antes eu tinha bastante. Depois que teve toda essa mudança (últimas eleições), não tivemos mais apoio nenhum”.


Outra queixa foi levantada pelo técnico da judoca. Expedito Falcão afirmou que Sarah pode receber um tatame olímpico para treinar, mas até espaço adequado falta para isso. “A Confederação Brasileira de Judô não quer e não tem  pretensão que a Sarah saia do Piauí porque ela é um exemplo para o Brasil”, destacou.

Ela sempre treinou aqui, mas chega um certo nível em que você vê outros estados e lá tem um apoio. E ela tem que ter um retorno financeiro também, porque isso é o trabalho da Sarah”, ressaltou Expedito Falcão, que anunciou o interesse de uma empresa do Piauí em fechar contrato com a judoca após as primeiras notícias da possível saída. 


Fábio Lima/cidadeverde

divisao

0 Comentário Publicar Comentário

Seja o primeiro a comentar.