Procurador quer proibir venda de celulares da Tim em Teresina

Multa pedida é de R$ 100 milhões e mais R$ 100 mil por cada nova linha vendida. A Oi também já foi acionada.

Depois da Oi, foi a vez da Tim ser acionada pelo Ministério Público Federal no Piauí, que quer que a operadora se abstenha de vender novas linhas de telefone celular até que se tenha condições de suportar a demanda existente. Além disso, a ação ajuizada nesta sexta-feira (17) pede multa de R$ 100 milhões pelos problemas já gerados.
Fotos: Thiago Amaral
A ação foi movida pelo procurador da República Kelston Pinheiro Lages, o mesmo que acionou a empresa Oi nos mesmos moldes do processo ajuizado agora. A Agência Nacional de Telecomunicações – Anatel – também foi acionada para que cumpra suas funções e puna operadoras que não prestem seus serviços adequadamente.
O processo leva em conta problemas na primeira semana de agosto de 2009, quando houve queda no sinal no Piauí. Relatório da Anatel observou que o volume de novas linhas foi crescente, enquanto a rede de acesso não teria sido ampliada para aumentar a capacidade de atendimento.

“As concessionárias de telefonia móvel não vêm atendendo às obrigações assumidas, dando ensejo à aplicação das penalidades cabíveis pela Anatel, que deve buscar medidas concretas para alterar a situação atual de má qualidade na prestação de serviços de telecomunicações”, diz Kelston Lages, que também pede à Justiça obrigue a operadora a elaborar em 30 dias um plano de ampliação da rede.
Na semana passada, no dia 8, usuários passaram a manhã sem conseguir efetuar ligações pela TIM, que admitiu ter enfrentado um problema técnico pontual e que os problemas foram normalizados no mesmo dia.
A Tim foi procurada pelo Cidadeverde.com e prometeu se posicionar em breve sobre a ação do MPF.

Fábio Lima
Fonte: cidadeverde
divisao

0 Comentário Publicar Comentário

Seja o primeiro a comentar.