Multidão acompanha procissão de São Pedro pelas águas do rio Parnaíba
Cerca de trezentas pessoas foram ao embarque da imagem e outras mais são esperadas no Poti Velho.
Centenas de pessoas se aglomeraram na avenida Maranhão, na tarde desta quarta-feira (29), na procissão de São Pedro. A população se aglomerou em frente ao Iate Clube, bairro Matinha, zona Norte de Teresina, de onde às 16h10min a imagem do santo saiu de barco nas águas do rio Parnaíba. 
Fotos: Thiago Amaral/Cidadeverde.com
Padroeiro dos pescadores, São Pedro teve sua imagem recebida com aplausos da população e fogos de artifício. Frei Aguiar comanda a procissão que continuou pelo rio Parnaíba em quatro barcos, além de embarcações particulares que seguiram a imagem. O destino final é o encontro com o rio Poti, no bairro Pori Velho. Cerca de trezentas pessoas acompanharam o embarque.
Ernesto Batista, presidente do Iate Clube, disse que há muitos anos a agremiação segue as embarcações de alguns sócios para auxilia-los durante o trajeto. Ele acredita na crença de que a benção das águas manterá o rio com peixe para os pescadores.

Muito emocionada, Donatilha Carvalho, 77 anos, contou que a maior graça por ela alcançada com a ajuda de São Pedro foi a proteção de seus filhos, que moram longe e nunca tiveram problemas. Ela afirma participar da procissão todos os anos.
Esposa de pescador, Selma Aragão levou o filho Marcelo, de um mês e dois dias, para pagar uma promessa. Com problemas de pressão alta, ela temia que o bebê nascesse com a saúde complicada e prometeu a São Pedro levar a criança para a primeira procissão realizada assim que nascesse.
O acesso a veículos foi fechado no encontro dos rios para a chegada da procissão. No local, já se encontram mais pessoas que na concentração. Pouco antes de 17h, o barco com a imagem de São Pedro foi recebido por mais de mil pessoas. A procissão seguiu em um caminhão pelas ruas do Poti Velho para ser encerrada com uma missa na praça do bairro, que também marca o fim dos festejos.
Exemplo de fé
Aos 90 anos, com muita dificuldade para caminhar, Paula Gonçalves Pereira alugou um carro para participar da procissão, como faz todos os anos. “Eu sou a mulher de um dos pescadores do Poti mais antigos, que fez esse festejo acontecer”, contou a esposa do pescador Cajueiro, um dos incentivadores da festa, já falecido.
O esforço é para pedir a benção de São Pedro. “Eu peço saúde e felicidade, não só para mim, mas para todo mundo, inclusive para você”, completa a aposentada.



Jordana Cury (especial para o Cidadeverde.com)

Fábio Lima (da Redação)

Cidadeverde
divisao

0 Comentário Publicar Comentário

Seja o primeiro a comentar.