Assaltante ferido pede para ser morto; Busca chega ao 5º dia

LUZILÂNDIA: Um dos presos no assalto ao Banco do Brasil forneceu para a polícia informações sobre a quadrilha.

As buscas aos assaltantes do Banco do Brasil de Luzilândia, 234 quilômetros ao norte de Teresina, chegaram ao quinto dia com novas pistas sobre os acusados. Preso na última sexta-feira durante perseguição na mata, Ricardo Duzzy, 27 anos, forneceu informações sobre os outros integrantes da quadrilha, em sua maioria composta por maranhenses. Segundo seu depoimento, dois comparsas fugiram em um carro com os malotes e não estão mais na mata.
                               Thiago Amaral/Cidadeverde.com
Informações obtidas pelo Cidadeverde.com dão conta de que foram levados R$ 3 milhões no assalto do último dia 3, que terminou com a morte de dois assaltantes e do gerente do banco. Um terceiro acusado, identificado como Paulista, sofreu um tiro no olho durante a perseguição e pediu para ser morto, mas os comparsas teriam se recusado a fazê-lo. No depoimento, Ricardo Duzzy disse ter visto Paulista pela última vez na quinta-feira, cambaleando na mata. 

Foto Luzilandia. com
 
A quadrilha também é composta por Anderson, vulgo “Cabeção”, de Teresina, e Evandro, de União. Os dois teriam fugido em uma L-200 com os malotes de dinheiro. Na mata, estão sob cerco “Tucano”, de Largo da Pedra/MA, e Adriano, de Presidente Dutra/MA, mesma cidade de Ricardo Duzzy. 
Todo o efetivo destacado desde o início da semana para as buscas continua na mata. O trabalho dos 70 policiais da tropa de elite do Piauí é vencer os bandidos pelo cansaço. Durante a fuga, eles abandonaram um veículo com mantimentos, com os quais deveriam se manter em acampamento no mato. Os policiais continuam o cerco na expectativa de que os assaltantes deixem a região para buscarem água e comida. 
Fábio Lima (Com informações da TV Cidade Verde)
redacao@cidadeverde.com
divisao

0 Comentário Publicar Comentário

Seja o primeiro a comentar.